Páginas

27 julho 2012

Os suicidas

        10:15. Estou atrasado. Porra! Gladis vai me matar. Oi, oi, tudo bom, beijo, cheiro, quanto tempo!, vai ser assim, mais ou menos, depois, sei lá, convido-a pra fumar um negócio, qualquer coisa, tudo menos aquela merda de casamento, Deus me livre!, não sou tão louco assim, ela é, é doida, tão doida que é, só pode, meteu na cabeça namorar comigo, e pior, meteu na cabeça ser minha noiva, noivar, que lindo!, eu, um pé rapado, sem um centavo no bolso, um único que fosse pra comprar o anel que selaria o compromisso, comprei de bambu, marrom, fino, frágil, tão frágil como imagino ser o que sentia, o dinheiro?, dois reais, velho, vendi um jogo, Call of Duty, ao Thiaguinho. Mas tudo isso passou, um dia ela concluiu que sua realização não era o casamento, era antes o suicídio, cortou os pulsos, tomou comprimidos, veneno, o fulano lá de cima não concordou com o destino, ela virou puta, rapariga mesmo, roda bolsinha na rodoviária, por vinte conto você tem tudo, "priquito", mamada, cu, o suficiente pra comprar uma carteira de cigarros, uma quentinha, estrogonofe de frango, todo meio-dia na Dona Lucinda e beber três latinhas de cana, oh, bye, world, fucking life, "hoje sou feliz e canto"... "Só por causa de"... E me ligou na semana passada, fazia tanto tempo que pensei que ela tinha me esquecido, sou fácil de esquecer, não sou bom amante, não sou bonito, nem rico, feio, dente podre, sovaqueira, quer mais repelente?, Oi, Josué?, Oi, quem fala?, Como, quem fala, doido?, tu tá de brincadeira comigo, só pode!, não tá me reconhecendo?, Tou não, não tenho ideia, Sou eu, seu porra, seu veado, a Gladis!, tá lembrado?, Gladis?, brinquei, Que Gladis?, Oh, cara, vá se foder!, tua noiva, seu bosta!, Aaah!, minha noiva!, sei..., e aí, tudo bom?, você desapareceu, hein?, enviuvei antes de casar!, ri, ela fez um silêncio demorado, Alô, Gladis?, Você quer encontrar comigo?, quarta na Ribeira, de noite, onze horas, tá?, não hesitei, Tá, inté, um beijo na calcinha, ela riu, hoje saio de casa, fone no ouvido, "eu quero tchu, eu quero tcha", demora desse ônibus, entro, pago, desço, vejo ela lá longe, me acena, assobia, "Vem", E aí, que é que você me trouxe?, ela pergunta, Uma arma?, Não, Gladis, desânimo, Porra, puta merda, Josué, isso de novo?


        Não vou dizer: esse aqui é do bom, a gente murcha bem rapidinho, seca como roupa no arame sob o Sol do sertão... Pronto, falei!, ela avança pra mim e solta, Por que é que você faz isso comigo?, Sei não, você acredita que tem coisa que nem eu sei?



Um comentário:

  1. Gosto bastante da velocidade
    desses flashes,
    da vida das imagens criadas.

    ResponderExcluir

"Seja bem vindo quem vier por bem."