Páginas

10 fevereiro 2012

Curto-Poema do Início e do Fim

I.
Dás mais um passo
Atiro, falou...
E eu nada mais lembro,
Pra mim o mundo acabou.


II.
Que coisa esquisita!
Meu irmão,
A gente não sabe
Desta nação
- Eu pelo menos não-
Onde começa a polícia
E acaba o ladrão.


III.
Nasci chorando, o soube
Há pouco por minha mãe
E daí tudo mudou...



6 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado, Ana. Sempre boas suas palavras. Fico muito contente que goste do que escrevo. Grande abraço pra você. :)

      Excluir
  2. Onde começa a polícia e acaba o ladrão ?
    Acredita que também gostava de saber a resposta.
    Só sei que como tu nasci a chorar e morrerei em silêncio.
    Ninguem me disse que o mundo tinha acabado e que apenas se fazia guerra nos dias para lá do sol poente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morrer em silêncio é pra mim uma dúvida; na verdade, seja mudo, seja em altos brados, morrer não me cativa. Obrigado, Luís. Um abraço.

      Excluir
  3. O poder é travestido de várias maneiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Gabriel, e nem sempre da melhor forma. Abraço.

      Excluir

"Seja bem vindo quem vier por bem."