Páginas

23 dezembro 2013

Ideia para conto #7



 

       Duas baratas se digladiam num concurso de transmissão eletromagnética. Susan, a mais velha, cozinha um chicharro esnobe, sobrinho de um cardeal da Provence, e serve-o "au point", com azeite extra-virgem e batata a murro, a um cacto albigense, tentando transmitir-lhe ondas de rádio. Infelizmente, só logrará transmitir-lhe as ondas AM. A outra, Catharina do Sem-Prepúcio, canta "Tomorrow Never knows" a fim de criar em sua ví­tima a síndrome da morte prematura: o ser continua vivo, mas nem imagina sequer que viva. Respira, defeca, mas não raciocina. O problema é que, na execução da música, uma nota pede demissão e foge para o deserto com um escorpião motard. O júri do concurso declara, então,  o prêmio anulado e obriga as concorrentes a fazerem cafuné nos seus pelos pubianos. Logo, Susan e Catharina do Sem-Prepúcio apaixonam-se por José Carango e, numa espécie de amor antropofágico, sonham digeri-lo. O carango foge, pede asilo na Rússia e vive feliz em terras de Putin.


3 comentários:

  1. Côvo,
    venho deixar meus votos de felizes festas.
    agradecer a partilha durante este ano que finda.
    beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Ingrid. Um feliz Natal, um feliz 2014, toda a felicidade do mundo pra você. E vamos partilhando, vibrando com o que gostamos de fazer: escrever. Abraço.

      Excluir

"Seja bem vindo quem vier por bem."